Verdadeiros adoradores

Série: Verdadeiros adoradores - Parte 1


Em tempos cujo louvor com música é extravagante, onde os cantores cantam virados para parede, onde o shoffar é tocado como instrumento de avivamento e poder, é comum nos angustiarmos com a qualidade musical e teológica das nossas bandas e cantores. Infelizmente boa parte das letras e composições evangélicas que tem feito sucesso nesse brasilzão de me Deus, estão repletas de heresias e distorções doutrinárias, as quais nitidamente percebemos nos hits cantatos em nossos cultos e encontros. Nesta perspectiva, o "adorador" tem voado como águia, rugido como leão, saltado como coelho, além de rolado pelo chão quando tocado por Deus.

Caro leitor, como já escrevi anteriormente, acredito que boa parte dos nossos problemas se deve as ensinamentos distorcidos que saem dos nossos púlpitos. Na verdade, a música tocada nas igrejas evangélicas retratam muito bem a falência teológica dos nossos pastores, que não por não conhecerem as doutrinas fundamentais da fé, permitem que conceitos estapafúdios sejam ensinados através de canções estereotipadas. No entanto, nem tudo encontra-se perdido, mesmo porque, Deus pela sua infinita graça tem conservado inúmeros irmãos neste país, cujo compromisso principal é glorificar o nome do Senhor, dentre os quais destaco o Grupo Logos.

A Missão Evangélica Logos, cujo nome vem da palavra Grega “logos”, que significa “verbo”, nasceu, oficialmente, em outubro de 1981, após o término do Grupo Elo. Seus fundadores, Pr. Paulo Cezar e sua esposa Nilma Soares, oriundos da Igreja Congregacional de Campo Grande no Rio de Janeiro, estudaram no Seminário Bíblico Palavra da Vida em Atibaia-SP e participaram ativamente na implantação de uma igreja e na fundação e ministério da Editora Musical e Literária Elo. Durante 28 anos, o Logos tem sido portador de linda canções, cujo conteúdo e musicalidade tem abençoado milhares de pessoas em todo país das quais destaco, "situações, autor da minha fé, o evangelho, obreiro aprovado, mão no arado, calmo, sereno e tranquilo" e muitas outras mais.

Isto posto, afirmo sem a menor sombra de dúvidas que a Igreja Evangélica Brasileira precisa redescobrir seus valores, passando a cantar novamente em seus cultos canções de qualidade e bom conteúdo musical.

Com certeza o Grupo Logos é uma boa pedida!

Renato Vargens

Comentários