quinta-feira, 27 de junho de 2013

Quando os problemas são maiores que nossa fé

Quando os problemas são maiores que nossa fé

 Por diversas vezes passamos por problemas. Alguns nos atormentam tanto que levam consigo nosso tempo e sono, não é mesmo?
Quanto mais pensamos nos problemas, esquecemos que temos um Deus que está sempre atento a nos ajudar. Vamos esmorecendo e já não lemos mais com tanto afinco a Palavra de Deus, deixamos de orar com freqüência e os problemas vão ficando  maiores que a nossa fé.
Em momentos assim é comum buscarmos conselhos com nossos familiares, amigos e irmãos mais próximos.
Mas seria a afinidade o único requisito para tomarmos conselhos com nossos queridos?
Que mal pode haver nisso?
É possível se dar mal com conselhos de pessoas tão próximas?
Como sabemos que todos nós somos passíveis de erros a resposta é SIM.
Sim, mesmo tentando nos ajudar nossos queridos podem nos dar conselhos errados.
Isso se deve por vários motivos como o padrão moral, nível de conhecimento, religião, maturidade, sexo, e talvez outros.
a)      Padrão moral: pode fazer com que alguém que esteja passando por problema financeiro seja influenciado a roubar, ou pegar um empréstimo, ou cortar gastos;
b)      Nível de conhecimento: conhecer ou ter passado por uma determinada situação ajuda a resolver de forma segura um problema. Por outro lado se não há conhecimento pode ser mais demorado ou difícil resolver o problema.;
c)      Maturidade: pode determinar a prudência ao resolver o problema;
d)      Sexo: pode influenciar se vai ser resolvido com mais ou menos sensibilidade;
e)      Religião: limita ou expande a forma de se resolver o problema.

Atentando para a religiosidade é bem provável que seu conselheiro tendo conhecimento e comunhão com Deus facilite a resolução de seu problema. Por outro lado, sem conhecimento ou comunhão, ele pode levar você a se afundar em seus problemas ou até lhe causar outro como, por exemplo, afastá-lo de sua comunhão com Deus, com outros irmãos e com a Igreja.

Davi, o homem segundo o coração de Deus, buscava conselho com pessoas sábias como o  profeta Natã em II Samuel 7. E seu reinado sempre prosperou.

Acabe por sua vez aconselhava-se com a inconseqüente  e idólatra Jezabel. E tomou péssimas decisões que o levaram a afastar-se de Deus e levar consigo seu povo (I Reis 21:25). E foi um péssimo governante.
Com que você vai se aconselhar de hoje em diante? Com Natã ou com Jezabel?





Graça e paz!

Eduardo Leal 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Graça e paz!
Gostando ou não, se quiserem, comentem.

Baseado em João 21: 3-18

Como diz o Hino 202 do HCC “Se os problemas parecem não ter solução, quando as mágoas inundam o teu coração...” Quando nossos sonhos se d...