Influenciando e sendo influenciado a fazer a vontade de Deus

Mensagem pregada em 16/08/2015 baseada no Evangelho de João 11

Israel vivia um momento de tensão social, político e religioso.
O povo era pobre, oprimido e insatisfeito com os altos impostos que pagava.
O governo até investiu em mobilidade e em saneamento mas estava aquém das expectativas do povo.
Os líderes religiosos não cumpriam seu papel de trazer ao povo as verdades de Deus. Eles estavam mais preocupados com seus próprios interesses.
Neste momento de turbulência surge um jovem com idéias revolucionárias. Dizia que devíamos repartir o pão com quem nada tinha. Dizia que o rico deveria vender tudo o que tinha e doar aos pobres. Um jovem que mesmo numa sociedade machista valorizava e defendia as mulheres.Um jovem que frequentava a alta sociedade mas que também comia e bebia com os excluídos. Um jovem que estava tão próximo de Deus que constrangia e intrigava os religiosos.
Esse jovem que se chamava Jesus influenciava os que o cercava a viver segundo a vontade de Deus.

Num momento em que era vigiado de perto por romanos e os lideres religiosos e com sua agenda cheia ele recebe a notícia de que seu amigo Lázaro estava doente. A partir desta perspectiva vamos ser incentivados a influenciar famílias, amigos, conhecidos e a também sermos influenciados a viver segundo a vontade de Deus.

I) Influenciando a família a viver segundo a vontade de Deus:

A família é um local de relacionamentos complexos onde o conflito é inevitável pois, é iniciada por duas pessoas que foram criadas de forma diferente, com cultura diferente, sexo diferente e que geram filhos que serão pessoas diferentes também. Então como essa família que se ama deve agir pra viver segundo a vontade de Deus?
Em primeiro lugar seus membros devem interceder a Deus (orar) uns pelos outros e com os outros. Não foi exatamente isso que Maria e Marta fizeram? Sim ela enviaram um mensageiro até Jesus para que ele fosse até a casa deles para ajudar Lázaro. Bom... nós podemos hoje, contextualizando, interceder ao Pai em o nome de Jesus para que Deus atue na vida de nossos familiares.
Em segundo lugar devemos manter nossa família sempre unida. O escritor do Evangelho de João via esta família tão unida que nos primeiros cinco versículos praticamente não os separa. Para mantermos a família unida devemos perdoar uns aos outros tantas vezes quanto for necessário.
Em terceiro lugar devemos adorar a Deus em família. Maria e Marta se colocavam aos pés de Jesus para aprender e também servir ao Mestre, como lemos em Lucas 10: 39-40. Nossos exemplos são também uma forma de influenciarmos nossos familiares a viver segundo a vontade de Deus.

II) Influenciando os amigos a viver segundo a vontade de Deus:


A palavra amor, em grego, usada nos versículos 3 e 36 é FILO que significa amor entre amigos. Ela é diferente da palavra amor do grego Ágape usada no versículo 5 que define o Amor de Deus por nós.
Jesus levava tão a sério suas amizades que colocava em risco a sua própria vida como podemos ler nos versículos de 7 a 16. E também se sensibilizava com os dramas de seus amigos (ver 17 a 35). Se tivermos um amigo ausente devemos ligar e se possível visitá-lo o quanto antes pois é provável que ele esteja passando por alguma dificuldade. E se ele nós ligar, mesmo no momento em que estivermos bem ocupados devemos dar-lhe atenção, afinal amigo é pra essas coisas. E se ele não for um cristão não devemos perder tempo e apresentarmos Jesus a ele, seja com nosso testemunho diário ou lhe fazendo um convite para a nossa Igreja. Mesmo que seja aquele amigo chato que se nos chama pra andar 1 Km e que deveremos andar com ele 2 Km.

III) Influenciando outras pessoas a viver segundo a vontade de Deus:

Jesus tinha o objetivo claro de só chegar após a morte de Lázaro para testemunhar a todos seu poder e sua comunhão com Deus. Isso só seria possível se Lázaro já estivesse morto a quatro dias, pois os judeus não criam que alguém pudesse ressuscitar após três dias de morto. Mas nestes 4 dias teria Jesus "ficado de bobeira"? Acredito que não. É provável que ele tenha aproveitado esse tempo para continuar ensinando seus discípulos e curando àqueles que o procuravam como quando tinha o objetivo de curar a filha de Jairo e no meio do caminho curou a mulher com fluxo de sangue.
Embora nossos amigos sejam nosso objetivo não podemos nos fechar às possibilidades que nos aparecem no percurso. Quem sabe Deus não coloque outras pessoas em nosso caminho para que possamos falar de Jesus para elas e a ajudarmos a viver segundo a vontade de Deus?

IV) Sendo influenciado a viver segundo a vontade de Deus:

Já vimos que Maria e Marta adoravam a Deus cada uma de sua forma, servindo e aprendendo. Mas e Lázaro? Vemos algo a seu respeito que o mostre adorando a Deus? Até aqui, não. Me parece que ele vê sua irmã debruçada aos pés de Jesus e só observa. Vê sua outra irmã trabalhando e também só observa... Lázaro, amigo de Jesus como nós, precisou estar morto por 4 dias pra entender que precisava acordar pra adoração para ter vida plena em Cristo.
Em nossas Igrejas há pessoas ralando muito, em 3, 4 cargos enquanto outros somente observam. Esses irmãos e irmãs são pessoas com talentos, com chamados, com ministério, com algo pra contribuir com o Reino de Deus e que poderiam ajudar a aliviar o fardo dos irmãos atarefados. É impossível não compara esses irmão com Lázaro que tinha cheiro de morto a 4 dias, ainda que seja uma forma dura e chocante. Crente com cheiro de morto a 4 dias é o crente que não adora.
Esse crente tem cinco características bem específicas:
Primeira: como morto não tem consciência de nada, ele não sabe que está morto.
Segunda: não tem brilho no olhar. O morto já perdeu o brilho do primeiro amor, já não é mais solícito.
Terceira: não abre mais a boca. Não canta, não ora, não leciona, não aconselha.
Quarta: não tem calor, estão frios. Não adoram.
Quinta: Não se mechem. Não se deixam levar pela vontade de Deus quando essa lhe é apresentada.


Há solução para os Lázaros.
O mesmo Jesus que esteve em Betânia é o mesmo que hoje quer te ajudar. O mesmo Jesus que chorou com elas é o mesmo que se sensibiliza com seu sofrimento, com suas lutas, com suas dores. Talvez você tenha se afastado do serviço da Casa de Deus por um problema com a liderança, ou por um problema na família, ou por algum outro motivo que eu não sei. O que sei é que o mesmo Deus que amava Lázaro com amor de amigo e com Amor de Deus também te ama. E com autoridade e com Amor te chama: - Venha para fora! Venha para fora dos seus problemas. Permita que a pedra que o separa de uma vida plena com Deus seja removida e levante-se do comodismo.
Após ouvir a voz de Jesus Lázaro se levanta ressuscitado e já no início do capítulo 12 o vemos sentado a mesa com Jesus em adoração aprendendo com o Mestre.
Faça isso você também e saia do buraco espiritual e sente-se a mesa com Jesus.
Bora viver segundo a vontade de Deus!

Graça e paz!

Eduardo Leal

Comentários