Existe algo mais importante que a rotina. Redescubra enquanto é tempo

Postei esse texto no Face em 2013 respondendo a uma postagem do Blog "Quem ama sempre educa" intitulada Para os maridos"

Em resposta a https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=384056261693730&id=167027523396606
Para as esposas:
Lilith volta da creche onde todos os dias deixa seu filho.
Entra no quarto e pra sua surpresa vê seu marido deitado.
Sem olhar pra ele diz: “Tirou o dia de folga? Não vai trabalhar hoje não, é? Ooh, você não vai ficar de bobeira não, heim. Pode ir levantando daí, toma seu café e vai arrumar a casa.”
Toma banho e desce para colocar roupa pra bater na máquina.
Pega uma caneca de chá e toma sua fluoxetina.
Entra no quarto da filha e diz pro marido: “Ih... desse jeito vai perder o emprego. Olha, têm prestação do carro, da casa, condomínio e outras contas pra pagar... Ah, e não se esqueça da dentadura nova da mamãe! 
Lilith desce. Pega uma xícara de café e liga a TV pra acompanhar seu programa matinal favorito. Entra no Facebook.
Termina o programa e seu marido ainda não desceu. Deixa o computador ligado.
Entra na cozinha e grita: “Ô Belo Adormecido, vai almoçar em casa ou vai comer alguma coisa a caminho do trabalho?
Começa a preparar o almoço e como sempre faz porção dobrada pra sobrar pra janta.
Fluoxetina faz efeito. 
Tira a roupa da máquina e pendura. 

Liga pra amiga e conversam por uma hora enquanto termina o almoço. 
Varre a casa e tira o pó. 
Sobe pro quarto olha pro marido deitado, tira de cima dele o edredom e vê uma poça de sangue.
Desesperada grita: “Leonardo, Leo, Leãozinho, meu amor abre os olhos...” Chora copiosamente, compulsivamente e pensa em como pode entrar e sair do quarto e não olhar pro marido. Talvez se tivesse prestado atenção nele daria tempo de socorrê-lo. Mas agora não dá mais.
O Leãozinho está morto. 
Lilith grita: “Mas por quê? Éramos tão felizes! Temos uma filha... casa... carro... como vou arcar com tudo isso agora?”
Acha um bilhete e lê:
 “Querida Lilith,
Eu desisti!
Sempre soube que seu dia a dia era muito intenso. Cuidar da nossa filhinha e da casa não é fácil. Talvez mais difícil do que as 14:00h que gasto entre percurso e o trabalho. Com toda a pressão, prazos, organização a concentração que o trabalho exige... 
Não consegui aguentar toda pressão do trabalho com todos os problemas que temos em casa. Você sempre gritando, reclamando, a Angelinha chorando e sempre querendo colo...
Você toma seu remedinho e esquece que eu existo.
É capaz de entrar e sair de um cômodo como se eu não estivesse lá. 
Não me chama pelo nome.
Carinho? Como se você nem olha em meus olhos.
Sexo então... Quanto tempo... Por que hoje no máximo fazemos por necessidade. As brincadeiras ficaram pra trás... o prazer... as carícias... os beijos...
Não aguentava mais lutar contra meus instintos. Sou assediado e resisto em respeito a você. Confesso que desejo! Mas como não desejaria se você se nega a ser minha amante?
Não tenho mais tempo de jogar com meus amigos. Você viu o resultado do meu exame cardíaco. Teria que passar por uma safena. Você sabe que tenho horror a médicos e hospital. Você ao menos lembra que fiz exames?
Espero que agora você tenha paz.”
Enquanto ela chora de remorso, ele abre os olhos a abraça e diz:
To de folga!
https://www.youtube.com/watch?v=Je2BH4yGOWI

Comentários